Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

coruche à mão

preservar memória / criar valor

coruche à mão

preservar memória / criar valor

BARRO - OLARIA, CERÂMICA FIGURATIVA

Cerâmica Figurativa

Desde muito cedo a produção de cerâmica deu importância fundamental à estética, já que as peças na maioria das vezes destinavam-se ao comércio, com possível exceção do fabrico de tijolos e telhas, geralmente utilizados na construção civil desde a antiguidade na Mesopotâmia. Talvez por esta razão a maioria das culturas, acabou por desenvolver estilos próprios que com o passar do tempo consolidavam tendências e evoluíam no aprimoramento artístico, a ponto de se poder situar o estado cultural de uma civilização através do estudo dos artefactos cerâmicos que produzia.

 

Não tenho memória da existência de muitos artesãos em Coruche associados à cerâmica figurativa, a minha memória leva-me a José David Esteves, já referenciado neste blog, embora em outro âmbito, e José Tanganho.

Hoje publico neste fórum um esquiço biográfico do artesão e uma foto de um Santo António da sua autoria. 


Esquiço biográfico:

José Pirralho Tanganho (José Tanganho), nasceu em 1939 em Coruche.

O pai, Jerónimo António Tanganho, era barbeiro, comerciante, e dedicava-se também a pequenos negócios, entre eles a produção de tijolo cerâmico, motivo pelo qual desde muito cedo José Tanganho começou a brincar com barro. Em criança as imagens do seu presépio eram feitas por si e colocadas na barbearia do pai. 

Quando completou 11 anos foi trabalhar no comércio. Diz ter-se esquecido por completo do barro. Viveu na Bélgica de 1968 a 1998, teve dois filhos.

Em 1999 regressou definitivamente  a Portugal, reencontrou um amigo com o qual tinha cumprido o serviço militar em Angola. Foi numa visita a casa do amigo e companheiro de “guerra”  que descobriu que este, para além de poeta, também era pintor e fazia modelagem de barro, pediu-lhe que fizesse um  Santo António. O seu  amigo Diogo ofereceu-lhe então a peça solicitada, foi o despertar daquilo que durante 50 anos esteve adormecido. 

A imagem de Santo António foi inspiradora, pelo que começou a concebe-la  numa primeira  instância procurando o realismo e posteriormente de uma forma mais estilizada, sendo que também tem executa outras peças, nomeadamente: Sagrada Família, peregrino de S. Tiago de Compostela, rainha Santa Isabel, S. Francisco de Assis, S. Tomás, entre outras peças associadas ao sagrado. Começou por expor em Coruche,  nas festas da Nossa Senhora do Castelo, CORART – Associação de Artesanato de Coruche, Torres Novas, Porto de Mós, Salvatierra de los Barros – Espanha, Reguengos de Monsaraz. Têm peças em vários países.

José Tanganho elege a imagem de Santo António, porque foi a primeira peça que executou e por ser um Santo Popular do qual é devoto.

Possui carta de Artesão desde 03/03/2010.

Fonte: Fatela, Paulo – Mão com Alma, artes e ofícios tradicionais em Coruche, edição Associação da Charneca Ribatejana, 2014, pág 25

IMG_0761.JPGTítulo: Santo António

Designação: Figurado

Material: Barro de cor branca e vermelha 

Dimensão: 0,48m x 0,10m 

Créditos Fotográficos: Paulo Fatela